Terrorista da Nova Zelândia transmite assassinato e mata 49 pessoas e deixa vários feridos

0
450

Um dos autores do atentado contra duas mesquitas da Nova Zelândia transmitiu ao vivo parte do ataque pelo Facebook, conforme admitiu a rede social através de uma porta-voz. “A Polícia nos alertou sobre um vídeo no Facebook pouco depois de ele começar a ser transmitido. Apagamos rapidamente tanto o vídeo como a conta do Facebook e do Instagram do atirador”, diz um comunicado da rede social na Nova Zelândia. “Também estamos retirando qualquer apoio ou louvor a este crime, ao atirador ou aos atiradores assim que os encontramos”, acrescenta.

Pelo menos 49 pessoas morreram nesta sexta-feira em dois ataques terroristas contra mesquitas da cidade de Christchurch, na Ilha do Sul da Nova Zelândia. Três pessoas – que guardavam explosivos em seus carros – foram detidas. A primeira-ministra Jacinda Adern afirmou que “isto só pode ser descrito como um ataque terrorista”.

O vídeo de 17 minutos inclui imagens explícitas de um dos tiroteios. Parece ter sido gravado por uma câmara tipo GoPro, que um dos atiradores levaria consigo durante o ataque. Depois de publicado no Facebook, circulou por outras contas da mesma rede social e também pelo YouTube, Twitter, Instagram e Reddit, um dos principais fóruns da Internet. Embora estas plataformas tenham repetidamente apagado o vídeo, outros usuários continuaram a publicá-lo.

Segundo o The New York Times, alguém que se apresentava como um dos autores do ataque (embora sua identidade não tenha sido confirmada) publicou antes do atentado o link para um manifesto supremacista branco que estava publicado no fórum 8chan. Outros tuítes mostravam cartuchos de rifles nos quais ele havia escrito os nomes de ultradireitistas que cometeram outros massacres armados e assassinatos, entre eles José Estébanez, um ex-militar espanhol que em 2007 assassinou o jovem Carlos Palomino no metrô de Madri. Também constam as datas de batalhas em que o Império Turco sofreu derrotas nas mãos dos europeus.

Nos cartuchos também se podem ler os nomes de personagens históricos que na Idade Média lutaram contra tropas muçulmanas. Entre eles há vários que participaram das Cruzadas: Gastão IV de Bearne, mandatário do Reino de Aragão no século XI, e Boemundo de Antioquia. Também está escrito “Pelayu”, que poderia fazer referência a Dom Pelayo, símbolo da luta dos cristãos contra os muçulmanos na Península Ibérica durante a Idade Média. Outros dos nomes que aparecem é o de Carlos Martel, um senhor franco que guerreou contra os muçulmanos no século VIII. Um grupo terrorista francês de extrema direita que cometeu vários atentados contra muçulmanos entre 1973 e 1987 se chamava Carlos Martel. O conde Miguel Szilágyi de Horogszeg (em húngaro: Szilágyi Mihály) foi comandante dos exércitos húngaros e regente do país no século XV. Morreu nas mãos dos turcos após ser capturado em 1460.

Os vídeos da live são pesadíssimos, por isto, você só vai conseguir ver se alguém te enviar pelo WhatSapp.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.